CAMDA - A força do campo!
-
  • Localização Rua Chujiro Matsuda, nº 25 - Vila Endo

  • E-mail contato@camda.com.br

  • Telefone (18) 3502-3000

Cuidados com os nenonatos

POR Roberta Marchioti, 20 SET, 2021
20 SET

O Brasil possui um dos maiores rebanhos do mundo, com alta competividade em mercado globalizado. O mercado de bovinos exerce grande importância na economia do país, ainda mais hoje onde o brasileiro foi reconhecido pelo seu trabalho no agro que vem sustentando o mundo. Contudo, para que este sucesso fosse alcançado, o manejo com os neonatos precisou ganhar uma atenção especial, uma vez que, os cuidados neonatais podem refletir pelo resto da vida do animal.

Mas para obtermos sucesso com os neonatais são necessaries alguns cuidados. Veja as dicas abaixo.

Manejo da matriz pré-parto - Os cuidados neonatais iniciam antes mesmo do nascimento do bezerro, com a preparação das matrizes para a monta e concepção. Essa concepção que futuramente virão a se tornar fetos pode ser realizada por meio da monta natural ou por meio de biotecnologias de reprodução como a inseminação artificial. É fundamental que a matriz esteja saudável, em boas condições - vacas muito magras/ gordas tendem a ter dificuldades no parto. Vacas magras podem não ter energia necessária para parir e vacas gordas podem apresentar contrações fracas, dificultando a expulsão do feto, ambas colocam em risco a saúde materna e fetal.

As matrizes precisam ser submetidas a exames ginecológicos e, em casos específicos, exames laboratoriais a fim de detectar doenças infecciosas capazes de causar o abortamento ou, até mesmo, infertilidade da matriz. Após a concepção, as matrizes devem ser mantidas em pastagens ou forrageira, água de boa qualidade e sombra suficiente para que possam se abrigar nas horas mais quentes do dia. Devem permanecer nestes locais até perto do parto, quando podem ser levados para piquetes ou bancas de maternidade, onde eles vão dar à luz a seus filhotes. Outro cuidado importante com as matrizes no pré-parto é a vacinação.

Manejo do bezerro neonato nas primeiras 24 horas – É necessário ter alguns cuidados gerais imediatamente após o nascimento. Ingestão de colostro ao nascer deve ser por um período de 12 a 24 horas, neste period o importante é garantir que o bezerro faça a ingesta de no mínimo seis litros de colostro nas primeiras 12 horas. Estudos apontam que as maiores taxas de absorção de imunoglobulinas ocorrem 4 horas após a ingestão do colostro. A partir das 12 horas de vida, a taxa de absorção de imunoglobulinas diminui progressivamente conforme o bezerro vai crescendo.

A transferência dos anticorpos maternos por meio da ingesta de colostro é um mecanismo fundamental para a proteção do bezerro recém-nascido contra agentes patogênicos. E falhas neste processo não é uma doença, mas sim uma ocorrência que propicia a incidência de diversas patologias no mesmo.

Assepsia do umbigo - A assepsia tem grande importância após o nascimento, uma vez que evita que o mesmo seja contaminado e sirva como porta de entrada para agentes infecciosos. As interferências ocorridas no processo de cicatrização normal do ônfalo e suas estruturas podem resultar em onfalopatias, tais como: hérnia umbilical, miíases, onfalites, onfaloflebites, onfaloarterites e abscessos umbilicais. Dentre estas afecções, a onfalite normalmente é o problema primário que dá origem aos demais, juntamente a assepsia do umbigo fazemos uma pequena dose de antiparasitários com ação larvicida como doramectinas e ivermectinas que temos no mercado, dose de 1ml/50kg peso vivo do animal para prevenir infecções do umbigo causadas por outros agentes oportunistas.

A prevenção onfalite baseia-se na manutenção da higiene das instalações das maternidades e na redução do tempo em que os bezerros recém-nascidos passam em maternidades mal higienizadas, na ingestão precoce de colostro de boa qualidade e na antissepsia do cordão umbilical. Destacando que, antes de realizar a assepsia do umbigo é importante verificar o comprimento do mesmo, cortando-o quando for muito grande, deixando com cerca de 5 cm. O corte deve ser feito com tesoura limpa e afiada, em seguida deve-se aplicar solução de álcool iodado na concentração de 5 a 10% ou produto específico para este fim, a fim de ressecar o umbigo, fechando a porta de entrada para microrganismos e acabando com o estímulo para moscas pousarem e depositarem ovos.

 

Nicolas Ribeiro Rossi

Programa Reproducamda