CAMDA - A força do campo!
-
  • Localização Rua Chujiro Matsuda, nº 25 - Vila Endo

  • E-mail contato@camda.com.br

  • Telefone (18) 3502-3000

Mandioca, aipim ou macaxeira, por qual nome você conhece?

POR Roberta Marchioti, 27 JUL, 2021
27 JUL

Macaxeira, aipim, maniva, manaíba, carimã, uaipi e castelinha. Ligados às diferentes regiões de produção, esses são os nomes populares da brasileiríssima mandioca. A mandioca é nativa do Brasil e foi apresentada ao mundo através dos portugueses logo após o descobrimento; hoje mais de 80 países cultivam a mandioca, em grandes áreas ou mesmo em hortas, já que esta cultura não demanda de tecnologias e se adapta em vários climas.

A mandioca é classificada como mandioca-brava ou mandioca-mansa, de acordo com o teor de cianeto produzido em suas raízes tuberosas, sendo este muito maior nas mandiocas-bravas que nas mandiocas-mansas. Faz-se necessário esclarecer, no entanto, que nem a mandioca, nem suas folhas e ramos devem ser consumidos crus. A mandioca-mansa pode ser consumida cozida, frita ou transformada em farinha. Suas folhas podem ser utilizadas em refeições cozidas ou fritas depois que as folhas são picadas e lavadas várias vezes. A mandioca-brava deve ser utilizada após cuidadoso preparo como farinha e derivados.

As vantagens que se destacam da mandioca em relação a outras culturas são: tem fácil propagação; elevada tolerância a longas estiagens; rendimentos satisfatórios mesmo em solos de baixa fertilidade; pouca exigência em insumos modernos; potencial resistência ou tolerância a pragas e doenças; elevado teor de amido nas raízes; boas perspectivas de mecanização, do plantio à colheita, sem grandes perdas na matéria seca; permite consórcio com inúmeras plantas alimentícias e industriais.

A mandioca se desenvolve melhor com temperaturas superiores a 18ºC e com chuvas abundantes em seu período de desenvolvimento. Suporta longos períodos de estiagem, mas durante seu desenvolvimento necessita de bastante água. A mandioca precisa de boa luminosidade, podendo ser cultivada com luz solar direta ou em sombra parcial.

A única exigência para cultivar mandioca é que o solo seja drenado. Até em solos poucos férteis a planta consegue se desenvolver. Solos argilosos e compactados desfavorecem o crescimento de suas raízes e, por isso, não são indicados. Permeável, fértil, rico em matéria orgânica e pH entre 5 e 6 são as características desejáveis de um solo para se cultivar mandioca. Bom que se faça a análise de solo antes do plantio para um melhor preparo do solo. Este deve ser arado e gradeado para eliminar compactação e desfazer torrões. Aconselha-se fazer duas arações, a primeira dois meses antes do plantio, e a segunda no plantio, seguida de gradagem.

Para um bom desenvolvimento a cultura é exigente de alguns nutrientes como cálcio, magnésio, nitrogênio, fósforo e potássio; por isso é importante quantificar estes nutrientes antes do plantio para que seja bem aplicado.

Para dar início ao plantio, você precisará de pedaços de caule de plantas adultas saudáveis, conhecidos como manivas. Corte pedaços de 15 a 25 cm de comprimento e 2,5 cm de diâmetro. Depois, insira-os em sulcos ou covas que tenha de 5 a 10 cm de profundidade. O espaçamento geralmente recomendado é de 1 m entre as fileiras e 50 a 60 cm entre as plantas, podendo variar com a fertilidade do solo, do clima da região e da cultivar utilizada. Também é recomendado o plantio com fileiras duplas, onde a distância entre os sulcos é alternadamente de 2 m e de 60 cm, isto é, uma distância de 2 m entre duas fileiras e depois 60 cm até a próxima fileira.

Na irrigação pode optar pelo sistema que for mais favorável, precisa estar atento ao fato de que o solo deve estar sempre úmido, sem ficar encharcado. Nos cinco primeiros meses de desenvolvimento, a falta de água é um ponto crítico e pode prejudicar a mandioca. Em um estágio mais avançado de desenvolvimento ela resistirá melhor a períodos de seca.

Os principais tratos culturais realizados no primeiro ciclo da lavoura são o controle de plantas daninhas, o controle de pragas e doenças (principalmente, o mandarová) e a adubação em cobertura. No segundo ciclo, os tratos culturais são a poda da parte aérea, o controle de plantas daninhas e de pragas e doenças.

A colheita da mandioca pode ocorrer de 6 meses a 3 anos (geralmente de 12 a 18 meses) após o plantio das manivas, dependendo do cultivar e das condições de cultivo.

A mandioca é uma cultura que não demanda de muitas tecnologias e nem de muitos gastos, sendo uma colheita muito rentável. Procure uma filial Camda e tire todas suas dúvidas.

Equipe do Laboratório de

Análises Agronômicas Camda

(18) 3502.3400

(18) 99116.8868